Edifício e Arquitetura

A 19 de dezembro de 1941 foi inaugurado o edifício do Coliseu Porto. No final da década de 30 o Modernismo impunha-se. Não só nas artes, como nas gentes e até na traça da cidade. O Coliseu nasce assim moderno. E moderno será para sempre.

Image

Arquitetura

Ícone do modernismo local e internacional, o edifício do Coliseu foi projetado a várias mãos. Cassiano Branco, José Porto, Yan Wils, Júlio de Brito, Charles Siclis e Mário Abreu são alguns dos arquitetos que colaboraram ativamente na sua construção, como que antecipando uma das principais características do Coliseu: a pluralidade de expressões.

Image

José Porto

Natural de Vilar de Mouros, José Porto iniciou a sua atividade artística como pintor, ilustrador, cenógrafo e designer. Este percurso marcou os seus projetos enquanto arquiteto, onde combinava a arquitetura com a decoração de interiores e o planeamento urbanístico com a cenografia. É da sua autoria o anteprojeto para a fachada do Coliseu Porto, preterido em favor de outras propostas. Projetou também o interior da sala principal do edifício, que se mantém fiel aos seus primeiros estudos.

Image

Yan Wils

Arquiteto holandês, foi um dos fundadores do movimento artístico De Stijl e um admirador de Frank Lloyd Wright e do modernismo americano. Entre outros projetos, desenhou o Estádio Olímpico de Amsterdão e fez alguns esboços para o edifício do Coliseu Porto, que nunca chegaram a ser concretizados.

Image

Júlio de Brito

Foi um arquiteto, engenheiro e professor português. Filho do pintor José de Brito, cursou Arquitetura na Escola de Belas Artes do Porto e em simultâneo inscreveu-se no curso de Engenharia na Faculdade de Engenharia do Porto. Entre as suas obras mais emblemáticas está o Teatro Rivoli, o edifício da Junta de Freguesia de Cedofeita e o Coliseu Porto, onde começa por ver recusados os seus estudos pela comissão de Estética da Câmara Municipal do Porto. Mais tarde, o arquiteto Cassiano Branco assume a obra e conta com a colaboração de Júlio de Brito no projeto.

Image

Cassiano Branco

É um dos mais importantes arquitetos portugueses da primeira metade do século XX. Um dos mais espetaculares e cosmopolitas modernistas da sua geração, deixa na sua obra alguns projetos visionários nunca realizados e obras de referência da primeira modernidade portuguesa, como é o caso do Hotel Vitória e do Coliseu Porto. Foi arquiteto dirigente da obra do Coliseu, em colaboração com Júlio de Brito, e o seu traço marcou definitivamente a fachada do edifício. De todos os arquitetos envolvidos na obra, foi provavelmente o que mais marcou o aspeto exterior do Coliseu Porto.

Image

Charles Siclis

Foi um arquiteto e designer francês, formado na Escola de Belas Artes de Paris. Durante a sua carreira internacional, passou por Portugal e pelo Porto, onde fez alguns trabalhos de modificação na Casa de Serralves e participou, a convite de Cassiano Branco, na arquitetura de interiores do Coliseu. Após ter proposto alguns desenhos, admite-se que só os candeeiros e as portas foram incluídos no projeto.

Image

Mário Abreu

É o último arquiteto a participar na construção do edifício do Coliseu Porto e entra já na fase final da obra. Projetou o interior e fez alterações na sala principal, nas escadarias e na torre da fachada, que deveria ser envidraçada. Eliminou ainda o néon verde, vermelho e branco que acompanharia todo o edifício, segundo o conceito original de Cassiano Branco.

Image

Parceiros Institucionais

Image
Image
Image

Apoio

Image